Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Copa do Mundo / Neymar lidera o caminho ao hexa

Neymar lidera o caminho ao hexa

O México até tentou complicar a partida no início do jogo, mas não deu. Mais uma partida defensiva perfeita do time Tite e – enfim! – o brilho do craque brasileiro. Neymar hoje foi o jogador que esperamos: ágil, objetivo e letal. Fez sua melhor partida na copa, e uma das grandes atuações individuais no torneio. Apesar de ter completado apenas 2 dribles em 6 tentativas, fez 5 passes decisivos e participou do segundo gol. E apanhou calado. Mostrou a maturidade que esperamos dele.

O jogo começou um pouco difícil para a seleção. O time mexicano, comandado pelo ex-treinador do São Paulo, Juan Carlos Osório, pressionou a saída da bola e dificultou o jogo brasileiro. Mas o Brasil soube segurar o ímpeto inicial e colocou a bola no chão. Os laterais foram testados pela primeira vez: Fágner estava completamente perdido contra o bom Vela e Filipe Luís sofria com Lozano. Tomou até um amarelo. Por sorte, tivemos mais uma partida impecável de Thiago Silva, que parece ter exorcizado os demônios da Copa no Brasil. Vem liderando o setor defensivo com atuações de gala. Justifica a confiança depositada pelo treinador que muitos duvidavam, inclusive este que escreve.

Foto: Zimbio

Foram 8 cortes e 3 chutes bloqueados, além de 1 desarme. A consistência defensiva de Thiago fez com que o México conseguisse chutar apenas uma vez no alvo, nas 14 tentativas de chutes. O Brasil, por exemplo, chutou 20 vezes no gol, sendo 10 no alvo. Mais uma vez o goleiro Ochoa fechou o gol contra o Brasil, assim como foi na Copa de 2014. 8 defesas, sendo 5 difíceis. Foi o principal responsável pelo México não ter tomado uma sonora goleada.

Mas o dono do jogo foi mesmo Neymar. Eleito o melhor da partida com todo o merecimento, chegou a hora dele brilhar na Copa. Após o brilho inicial de Phillipe Coutinho, é hora do protagonista assumir seu papel. Já parece estar totalmente recuperado da contusão e chegando no melhor ritmo de jogo. Neymar é o diferencial que a seleção tem e seus adversários carecem.

Vale ressaltar também a excelente partida de Willian. O jogador do Chelsea vinha sendo o pior jogador do time na Copa. Sua excelente jogada resultou no gol que abriu o caminho da vitória da Seleção Brasileira. Depois disso, parece ter se livrado de um peso que carregava nas costas. Ficou mais leve, mais confiante e foi para cima. Ótima hora para crescer na competição, por sinal. Pode ser mais um fator importante na fase final do torneio.

Foto: Reuters

O Brasil joga agora na sexta-feira contra o vencedor de Bélgica e Japão. Se não houver a maior zebra da história das copas, é hora de se preparar para o confronto mais difícil até agora: enfrentar a ótima geração belga é um desafio importante para o time que quer ser campeão do mundo. Um time que gosta (e sabe) jogar com a bola. Que tem jogadores talentosíssimos e que decidem as principais ligas europeias. Mas que sofre com um setor defensivo vindo de muitas contusões, sem seus principais jogadores. Ao mesmo tempo, será um grande desafio para o setor defensivo brasileiro, que mostra ser o grande trunfo de Tite.

Notas

Alisson: sem ser muito exigido, fez apenas uma defesa no jogo, sem muita dificuldade. Nota 6

Fágner: sofreu no início do jogo. Parecia perdido, mas teve uma boa atuação no segundo tempo. Nota 6,5

Miranda: seguro como sempre. Nota 7

Thiago Silva: monstruoso. Que copa vem fazendo o camisa 2. Nota 8

Filipe Luís: também sofreu no início do jogo contra o ótimo Lozano, mas soube se impor no segundo tempo. Nota 6,5

Casemiro: tomou o segundo amarelo que o deixa de fora da próxima partida. Fez mais uma excelente partida, com incríveis 6 desarmes. Vai fazer falta. Nota 7,5

Paulinho: apagado no jogo, teve uma boa oportunidade de marcar num cruzamente de Fágner. Saiu cansado e sem conseguir ao menos uma infiltração, sua principal característica. Nota 6

Phillipe Coutinho: uma boa partida, com menos brilho, é verdade. Participou da criação, completou 3 dribles, mas faltou marcar seu gol. Nota 7

Willian: acordou na hora certa. Fez uma grande partida, mostrando que Tite tem estrela em manter seus jogadores mesmo nos piores momentos. Nota 8,5

Gabriel Jesus: fez sua melhor partida na Copa. Mas sem o gol, tá difícil de defender. Ainda mais quando seu reserva entra e faz o dele. Nota 6

Neymar: quando ele quer, é impossível pará-lo. Se continuar focado, o Brasil parece estar com o hexa nas mãos. Nota 9

Fernandinho: entrou para reforçar o meio de campo quando o Brasil estava em vantagem e iniciou a jogada que resultaria no gol de Roberto Firmino. Será o titular na próxima partida com a suspensão de Casemiro. Nota 7

Firmino: entrou, fez o gol e pede passagem no time titular. Nota 7

Marquinhos: sem tempo para ser avaliado.

Tite: montou bem o time, soube variar o posicionamento do time na hora certa e contou com a sorte de treinador campeão: manteve Willian e foi recompensado. Nota 8

Twitter: @tedsimoes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<