Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Copa do Mundo / Favoritos da Copa: correndo por fora, Bélgica e França chegam fortes

Favoritos da Copa: correndo por fora, Bélgica e França chegam fortes

Faltando 4 dias para o início da copa, o blog segue fazendo o perfil dos 7 times que podem levantar a taça. Os dois times que serão analisados no post de hoje não estão entre os super favoritos, mas possuem alguns dos maiores talentos individuais no momento. A famosa “geração de ouro da Bélgica” e a jovem seleção Francesa. Se sobra talento em campo, o principal problema das seleções parece estar no banco. O Espanhol Roberto Martinez assumiu o time Belga depois do fracasso da Euro-16, enquanto o Francês Didier Deschamps, capitão do time campeão mundial na Copa de 1998 ainda não parece ser o treinador ideal em uma seleção tão habilidosa, perdendo em casa a chance de vencer a Eurocopa. Será que conseguem surpreender?

Bélgica

12 participações

3º Ranking da FIFA

Principal jogador: Eden Hazard

Técnico: Roberto Martinez

Última Copa: Quartas de final

Adversários na primeira fase: Panamá, Tunísia e Inglaterra

Foto: tribuna.com

Você com certeza já ouviu alguma piada maldosa sobre a “ótima geração Belga”, ironizando o fato do time não ter vencido nenhum título e sem assustar os rivais em copas. Uma tremenda injustiça com um país tão pequeno, que é só um pouquinho maior que o estado de Alagoas, para vocês terem uma ideia. Apenas 11 milhões de habitantes e um país que nunca teve muita tradição no futebol. O principal clube do país, o Anderlecht, tem 3 títulos da Copa da UEFA, uma espécie de segunda divisão da Copa dos Campeões. Em um continente com grandes equipes, é como se a Bélgica fosse o Equador na América do Sul. Por isso as críticas e expectativas são tão injustas.

Mesmo assim, o país produziu excelentes talentos ao longo dos anos. Quem não lembra do excelente Michael Preud’homme, que chegou a ser o melhor goleiro do mundo no início dos anos 90? O meia Enzo Scifo brilhou na Torino e no Mônaco e jogou 4 copas do mundo. Foi eleito o melhor jovem da Copa de 1986.

Dessa vez, a safra foi muito melhor que o time que conseguiu a quarta colocação na Copa de 86, vencida pela Argentina de Maradona. Se naquela época a grande maioria do time jogava na Liga Belga, hoje todos os jogadores jogam fora do país. E alguns deles nos principais times do mundo.

Do Chelsea, o maior talento do país. Considerado o melhor jogador Belga da história, Eden Hazard brilha na difícil Premier League, onde já foi eleito o melhor jogador da liga. Extremamente habilidoso, rápido e goleador, o camisa 10 é o sonho de consumo do Real Madrid para a próxima temporada. E como o Chelsea não se classificou à próxima Liga dos Campeões, não é muito difícil de uma transação recorde acontecer. Além dele, o time Londrino conta com o goleiro da seleção, o excelente Courtois. Um dos melhores goleiros do mundo.

Foto: Eurosport

O Manchester City de Pep Guardiola e seus 100 pontos conta com o capitão Vincent Kompany, considerado um dos melhores zagueiros da história do país e do excelente meia Kevin de Bruyne, considerado por muitos como um dos 3 melhores jogadores da atualidade. O camisa 7 é o rei das assistências nas 5 maiores ligas Europeias, com 85 passes para gol desde 2012. O que jogou nessa temporada não tá no gibi.

Ainda na Premier League, Moussa Dembelé e o excelente Jan Vertonghen brilham no Tottenham e também são alvos de Barcelona e Real Madrid. O Manchester United pagou quase 100 milhões de Libras na última temporada pelo atacante Lukaku, que apesar de ter deixado a desejar, marcou seus golzinhos pelo lado vermelho de Manchester. Dois jovens jogadores também merecem ser observados com cuidado: o meia-atacante Carrasco, que deixou o Atlético de Madrid em busca dos milhões Chineses e o excelente meio campista Youri Tielemans, do Mônaco.

Apesar de tanto talento, falta um treinador. Roberto Martinez sucedeu Marc Wilmots, uma lenda da seleção Belga, mas ainda não conseguiu tornar esse time letal como ele pode ser. E com certeza, ele não é o cara para fazer isso. Se a Bélgica surpreender, será muito mais pelo talento individual e o incrível poder de fogo que o time possui.

O sorteio foi ótimo para um time com uma certa pressão, como a Bélgica. Pega a Inglaterra na primeira fase, é verdade. Mas os Three Lions, como os Ingleses são conhecidos, costumam fazer papelão quando o assunto é copa do mundo. É até uma piada recorrente na terra da rainha: apostar em que fase o time Inglês será eliminado. Além disso, a ótima geração Belga não deve ter dificuldades para vencer Tunísia e Panamá. É uma seleção que está no caminho do Brasil. Se passar em primeiro, o encontro ocorrerá nas quartas.

França

14 participações

1 título

7º Ranking da FIFA

Principal jogador: Antoine Griezmann

Técnico: Didier Deschamps

Última Copa: Quartas de final

Adversários na primeira fase: Austrália, Peru e Dinamarca

Foto: Federação Francesa de Futebol

Muito, muito talento. Talvez o elenco com maior talento individual dessa Copa, a França chega com um olho na próxima edição do mundial, por saber que seu elenco ainda é muito jovem e que pode chegar no auge na Copa do Catar. Mas engana-se quem subestima esse timaço.

Falta talvez, um goleiraço. Lloris, titular do Tottenham, não está na mesma prateleira dos melhores goleiros. Mas fora ele, em cada setor tem um jogador de nível mundial. Varane é titular absoluto do tri-campeão Europeu, o poderoso Real Madrid. No meio, uma constelação: Kanté, Pogba, Tolisso e Lemar. No ataque, o ouriço Dembelé, o excelente Mbappé e o craque do time, Griezmann. A França de 2018 é muito mais talentosa que a campeã mundial de 20 anos atrás, quando bateu o Brasil em casa. Vale ressaltar: com exceção do goleiro, que tem 31 anos, os mais velhos são justamente o atacante Griezmann e o meia Kanté, ambos 27 anos. Não dá nem para chamar de velho, não é mesmo? Devem ser nomes importantes ainda para a próxima copa. Pogba e Varane (25), Tolisso (23), Lemar (22), Dembelé (21) e Mbappé (19) provavelmente estarão entre os melhores jogadores do mundo em suas posições em 4 anos. Assustador.

Foto: Getty Images

Porém, o time vem de uma derrota traumática na decisão da Euro-16, contra Portugal. Mesmo sem Cristiano Ronaldo, que se machucou no início do jogo, o time Português estragou a festa que estava desenhada para os anfitriões, quando Éder marcou na prorrogação. Foi um banho de água fria em pleno Stade de France, o mesmo que presenciou a única conquista dos Franceses em copas do mundo.

Não deu para eximir a culpa do técnico Didier Deschamps, que não conseguiu vencer um jogo que parecia tão fácil (e que ficara mais fácil ainda sem ter que se preocupar com Cristiano Ronaldo). O técnico chegou a balançar no cargo, mas ganhou um voto de confiança. Passou pelo teste de fogo nas eliminatórias, quando pegou o grupo mais difícil e venceu, eliminando inclusive a Holanda da disputa do mundial. Algumas derrapadas aconteceram, quando o time empatou com Luxemburgo em casa e perdeu para a Suécia em Solna.

O time Francês é um dos candidatos à melhor campanha da primeira fase. Seus adversários não devem conseguir tirar pontos dos Bleus. O Peru conta com a presença de Guerrero, liberado para jogar o mundial mesmo cumprindo pena por doping, mas não deve assustar. A Dinamarca do ótimo meia Eriksen é quem, talvez, faça o jogo mais duro da primeira fase. Mesmo assim, é muito pouco para enfrentar tanto talento junto. A França passa em primeiro fácil. O perigo maior mora no fracasso de um favorito: se a Argentina passar em segundo, teremos um duelo interessantíssimo nas oitavas. Depois, outro rival Sul-Americano nas quartas, o Uruguai. Resistindo, pega a Alemanha nas semi, e uma eventual final contra o Brasil. Hora da revanche por 1998 e 2006? É esperar para ver.

Twitter: @tedsimoes

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<