Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Copa do Mundo / Favoritos na Copa: Espanha

Favoritos na Copa: Espanha

Faltando 9 dias para o início da Copa, seguimos com a lista dos 7 times que podem conquistar o título no dia 15 de julho, data da grande final. A seleção de hoje entra fortíssima e é para mim a grande favorita ao título. Com um elenco mesclado entre excelentes veteranos e ótimas promessas, a seleção Espanhola tenta apagar o vexame da Copa no Brasil, onde sequer passou de fase, tornando-se a 4ª campeã do mundo a ficar na primeira fase (Itália (1950), Brasil (1966) e França (2002) são as outras). Com o técnico Julen Lopetegui no comando, a Espanha voltou a apresentar o excelente futebol que estamos acostumados a ver.

Espanha

14 participações

1 título

8º no ranking da FIFA

Principal jogador: Andrés Iniesta

Técnico: Julen Lopetegui

Última Copa: primeira fase

Adversários na primeira fase: Portugal, Irã e Marrocos

Foto: Getty Images

A Espanha renasceu. Depois do fracasso na Copa de 2014 e na Euro 2016, a Federação Espanhola percebeu que o ciclo vitorioso de Vicente Del Bosque havia chegado ao fim. Resolveu apostar em Julen Lopetegui, um treinador não tão badalado, com passagens por seleções de base da própria Espanha e vindo de um trabalho mediano no Porto. A aposta deu certo. Lopetegui resolveu dar chance à jovens promessas como Isco, Asensio e Rodrigo. A classificação nas eliminatórias foi tranquila. 9 vitórias e apenas um empate, contra a Itália, que falhou no playoff final.

Apesar de ter empatado com Alemanha e Suiça nos amistosos pré-copa, a Espanha humilhou a Argentina (sem Messi) com um sonoro 6-1. A apresentação perfeita da Fúria teve tudo aquilo que podemos esperar do time Espanhol: apesar da posse de bola ficar dividida, as triangulações e percentual de acerto nos passes foi gigantesca. E uma eficiência letal: Foram 9 finalizações, sendo 6 no gol. 100% de aproveitamento nos arremates certeiros.

Lopetegui conseguiu mesclar seus ótimos veteranos com os jovens. Estão lá alguns campeões mundiais: A melhor dupla de zaga do mundo, Sérgio Ramos e Piqué. Dois grandes craques comandam o meio de campo, dando o ritmo para o jogo: Iniesta e David Silva. Se juntam a eles o melhor goleiro do mundo, David de Gea, os ótimos laterais Carvajal e Jordi Alba, os ótimos Koke e Thiago Alcântara com o sempre constante Sergio Busquets, além da juventude de Saúl, Isco e Asensio. No comando de ataque, o Brasileiro naturalizado Diego Costa é uma ameaça constante aos defensores adversários. O jovem Rodrigo ainda pode aparecer em alguns momentos e surpreender quem ainda não conhece o futebol do jovem atacante do Valencia.

Falta a Espanha um jogador tão decisivo como Neymar, Messi ou Cristiano Ronaldo. Mas historicamente o país da liga das estrelas nunca produziu um craque fora de série. O lendário Raul Gonzales, estrela do Real Madrid nos anos 90 foi o único que chegou perto desse status, mas mesmo assim, nunca foi sombra para os melhores jogadores do planeta. Mas isso não parece ser um problema para a seleção Espanhola, que sempre se baseou em um estilo coletivo de jogo.

Foto: Tribuna Expresso

Com o craque Andrés Iniesta caminhando para o final da carreira, resta aos Espanhóis torcerem para um mês iluminado do seu camisa 6. Após a despedida do Barcelona, é bem provável que o meia anuncie sua aposentadoria com a camisa Espanhola. Vale a pena acompanhar os últimos minutos de um dos maiores jogadores da história, autor do gol que os Espanhóis jamais esquecerão.

O sorteio ajudou o time de Lopetegui. Apesar do primeiro jogo complicado contra Portugal de Cristiano Ronaldo, Irã e Marrocos não devem dar trabalho. A previsão é que a Espanha se classifique em primeiro, pegando a Rússia ou Egito nas oitavas. Nas quartas, poderá ter seu primeiro grande desafio: França, Argentina ou Croácia. Uma possível semi final com a Alemanha. Final contra o Brasil? Veremos.

Twitter: @tedsimoes

One thought on “Favoritos na Copa: Espanha”
  1. pinheiro 5 de junho de 2018 on 20:56 Responder

    boa noite. acredito que os principais favoritos sao alemanha e brasil. nossa seleçao é outra com a mudança do treinador resta sabermos se na ausensia do neymar teremos uma equipe competitiva e capaz de ganhar os grandes advesarios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<