Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Copa do Mundo / Com o Sorteio Realizado, o que esperar da Copa na Rússia?

Com o Sorteio Realizado, o que esperar da Copa na Rússia?

Foram sorteados ontem os grupos para a próxima Copa do Mundo, que acontecerá na Rússia. Dessa vez, não tivemos nenhum “grupo da morte”, como aconteceu no mundial passado, aqui no Brasil. Em compensação, tivemos um grupo muito fraco tecnicamente. Fruto do bizarro Ranking da Fifa, que colocou a Polônia como cabeça de chave. Vamos fazer uma análise por cada grupo.

Grupo A: Rússia, Arábia Saudita, Egito e Uruguai

A anfitriã, para variar, caiu num grupo tranquilo. Depois do trauma da copa de 2010, onde a África do Sul caiu num grupo da morte, a FIFA começou a dar um jeitinho para aliviar aos donos da casa – já foi assim na última Copa. O envelhecido time Uruguaio é bom, mas jogando com a sua torcida, a Rússia tem totais condições de buscar o primeiro lugar. A Arábia Saudita, que será treinada por Juan Antonio Pizzi, o mesmo treinador que falhou no comando do Chile, será o saco de pancadas do grupo. Inclusive, será agraciada com o jogo de abertura da Copa, contra os anfitriões. O Egito está de volta à copa após 28 anos de ausência graças ao artilheiro da Premier League, o meia Mohamed Salah. Apesar de estar no auge, é quase impossível que ele consiga carregar o time para a fase seguinte. Rússia e Uruguai devem ficar com as duas vagas, com os donos da casa tendo uma leve vantagem para conseguir o primeiro lugar no grupo.

Foto: Jonathan Nackstrandia

Grupo B: Portugal, Espanha, Marrocos e Irã

Esqueçam a última Copa: a Espanha rejuvenesceu seu elenco e vem como uma das grandes favoritas ao título. Alguns veteranos ainda fazem parte do elenco: Iniesta, Sérgio Ramos, Piquet e David Silva foram a base do time campeão mundial em 2010. Mas a chegada de habilidosos jogadores como Marco Asensio, Alvaro Morata, Isco e Saul fazem dessa Fúria um time muito mais equilibrado que na última Copa. Ainda contará com o talentosíssimo Thiago, filho do tetra campeão Mazinho e de Diego Costa, centroavante Brasileiro naturalizado. Com o jovem (e bom) treinador Julen Lopetegui, o time Espanhol voltou a apresentar aquele futebol de time campeão do mundo. É bom ficar de olho.

Portugal vem do maior título de sua história. Venceu a Euro-16, mesmo com a contusão do melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo. O técnico Fernando Santos conseguiu montar um esquema para o craque brilhar e contou com a sorte quando Ronaldo se machucou. O time não apresenta um ótimo futebol, mas é muito eficiente. É muito pouco para uma boa geração que ele tem nas mãos. Os ótimos Bernardo Silva, Nelson Semedo, Raphael Guerreiro, Gonzalo Guedes e Gelson Martins já não fazem a seleção Lusitana depender tanto do seu camisa 7. Falta coragem ao treinador para montar um time mais ofensivo.

Marrocos e Irã devem fazer figuração no grupo. A seleção Marroquina tem até alguns jogadores que fazem parte das fortes ligas Europeias, como os meia Boufal, do Southampton e Belhanda do Galatasaray, mas é muito pouco contra duas equipes de altíssimo nível. Espanha fica em primeiro e Portugal em segundo.

Grupo C: França, Austrália, Peru e Dinamarca

Que mamata para os Franceses! Só pegou time fraco. Forte candidata à melhor campanha geral na primeira fase da copa. Nenhum dos três adversários devem ameaçar os comandados de Didier Deschamps, capitão do título mundial de 1998 e da Eurocopa de 2000, os dois maiores títulos da seleção Francesa. Mesmo caindo num grupo tão fácil, vale a pena observar a França, que chega como favorita ao título. Um time jovem e fortíssimo. Talvez seja a principal candidata ao título em 2022, quando essa geração estiver mais experiente. Mas não dá para descartar seu favoritismo já nessa Copa. Além dos excelentes Griezmann e Pogba, os Bleus contam com Thomar Lemar (Monaco), Raphael Varane (Real Madrid), Benjamin Mendy (Manchester City), N’Golo Kanté (Chelsea), Adrien Rabiot (PSG), Alexandre Lacazzete (Arsenal) e o menino prodígio Kylian Mbappe (PSG). O assustador: o mais velho desses tem apenas 26 anos. Vai ser difícil parar esse time.

A Dinamarca, apesar de contar com o ótimo Eriksen, é um time limitado, assim como o Peru de Paolo Guerrero. Devem lutar pela segunda vaga do grupo. A Austrália, bem, vai ter que se contentar em comemorar as glórias no Rugby.

Foto: Buda Mendes

Grupo D: Argentina, Islândia, Croácia e Nigéria

E não é que a Argentina caiu no grupo mais difícil da Copa? Não chega a ser um grupo da morte, graças à Islândia (sdds Itália ou Holanda…), mas acabou sendo um grupo chatíssimo para os hermanos. A Nigéria sempre foi uma pedra no sapato do time Argentino. Perdeu para o time Africano em 94 e devolveu a derrota na copa de 2002. No último confronto, num amistoso em Novembro, a Argentina abriu 2-0 e tomou uma virada histórica, perdendo de 4-2. Destaque para as jóias Kelechi Iheanacho e Alex Iwobi. Dois jovens que podem fazer da Nigéria uma surpresa nessa copa.

O time Argentino ainda é uma bagunça. Classificou-se com muito sacrifício para o mundial. Sampaoli ainda está tentando achar o melhor time para Lionel Messi, acostumado a resolver sozinho com a camisa que já foi de Don Dieguito Maradona. Não dá também para menosprezar os vizinhos. Sergio Aguero vive grande fase goleadora no Manchester City e Paolo Dybala é o dono da Juventus. O problema é a defesa, envelhecida. Mascherano não é mais aquele cara que comandava o sistema defensivo do Barcelona. No gol, Sergio Romero é reserva no Manchester United. Chegará sem ritmo de jogo. Vai ser difícil para os hermanos.

A Croácia parece ter o time mais equilibrado do grupo. Com Luka Modric vivendo seu auge (é o melhor meio campista dos últimos anos) e o instinto goleador de Mandzukic, o time ainda conta com ótimos jogadores de grandes times Europeus: os meias Rakitic (Barcelona), Kovacic (Real Madrid) e Perisic (Inter de Milão). É candidata a vencer o grupo, caso Lionel Messi não resolva ser Lionel Messi.

(Ah, a Islândia! A torcida vai fazer uma festa bonita, mas o time vai perder os 3 jogos.)

Foto: Mauro Horita

Grupo E: Brasil, Suíça, Costa Rica e Sérvia

Já dizem por aí que é o grupo E de Ecsa. O sorteio foi bom para a seleção de Tite. O Brasil vai pegar 3 times que estacionam bem o ônibus na frente do gol. Será ótimo testar a paciência do ataque Brasileiro (e principalmente de Neymar) logo no jogo de abertura, contra a Suíça. Um time que chega a ser insuportável de tão chato, toma pouquíssimos gols. E que conta com bons talentos. Shaqiri e Xhaka são as estrelas do time, mas é bom ficar de olho no jovem Breel Embolo, de apenas 20 anos, que já está no radar de grandes clubes Ingleses.  Será o jogo mais difícil do grupo para a seleção. E estreia sempre é complicado. Mas acredito que o Brasil não terá problemas em vencer os 3 jogos do grupo. Contra a Costa Rica, é chance de goleada. E contra a Sérvia, fica a dica para o professor Tite: concentra o jogo na direita, nas costas de Kolarov, que é goleada certa. A Suíça deve ficar com a segunda vaga, sem muita dificuldade.

Foto: Getty Images

Grupo F: Alemanha, México, Suécia e Coréia

Os atuais campeões do mundo pegaram um grupo relativamente fácil, apesar de muita gente tentar forçar que é um grupo difícil. O México só assusta o Brasil (teve dificuldades inclusive na fraquíssima eliminatórias da Concacaf), a Suécia não tem nada (pode até ter Ibrahimovic, o que daria uma graça ao mundial) e a Coréia ainda não descobriu o que é jogar futebol. Além disso, o ótimo Joachim Low soube fazer testes nesses 4 anos pós-título. Se livrou do selfie-boy Lukas Podolski, perdeu o ótimo Philip Lahm e talvez não conte com o melhor goleiro do mundo, Manuel Neuer. Mas não se enganem. O goleiro reserva é tão bom quanto. Ter Stegen é titular absoluto do Barcelona. Kimmich entrou na vaga de Lahm e hoje já é um dos melhores laterais do mundo. E Leroy Sané está voando no Manchester City, mostrando porque é um dos melhores jovens do mundo. Além disso, o time contará com os excelentes Toni Kroos, Mesut Ozil e Khedira no meio de campo. A Alemanha é favoritaça ao penta. México e Suécia devem lutar pela segunda vaga. Se Ibrah for convocado, cravo minha aposta neles.

Grupo G: Bélgica, Panamá, Tunísia e Inglaterra

A Inglaterra tem um histórico horroroso em Copas do Mundo. Tirando o título de 1966 e a boa campanha no mundial da Itália em 1990, é só vexame. Tanto que a seleção chamada de Three Lions (três leões) é uma piada entre seus próprios torcedores. Desta vez, porém, vale a pena ficar de olho no time da Rainha. Com um jovem e promissor técnico, Gareth Southgate, que gosta de montar um time mais para frente, e o efeito Guardiola na Premier League, a Inglaterra chega com boas perspectivas. Os ótimos Dele Alli e Harry Kane, destaques do Tottenham tem a companhia do trio comandado por Guardiola no City: Kyle Walker, melhor lateral direito da Premier League, John Stones, que vem fazendo uma temporada impecável no comando da zaga e Raheem Sterling, artilheiro do Manchester City na temporada. Somando com os bons Henderson e Lallana, do Liverpool e ao garoto prodígio Marcus Rashford, do United, a seleção Inglesa chega com boas expectativas para o mundial, algo que não acontecia desde 2006, com a geração de Beckham, Lampard, Gerrard e Terry.

Ao seu lado no grupo, a geração de ouro da Bélgica. Tratada como piada por alguns jornalistas do país, vale a pena ficar de olho nesse time, que amadureceu bastante desde à última copa. Kevin de Bruyne é um dos 3 melhores jogadores do mundo no momento, e seu companheiro Eden Hazard não fica muito atrás. Lukaku deixou de ser uma promessa para ser o centroavante do poderoso Manchester United. No gol, o excelente Courtois, os bons Kompany e Alderweireld na defesa, Carrasco, Naigollan e Mertens brilhando no meio de campo de suas equipes. E finalmente, um bom técnico. Roberto Martinez faz um trabalho consistente, ao contrário do ex-jogador Marc Wilmots.

Panamá e Tunísia serão sacos de pancadas. E concorrem ao prêmio de pior jogo da primeira fase.

Grupo H (de Horrível): Polônia, Senegal, Colômbia e Japão

Graças ao maravilhoso ranking da FIFA, temos um cabeça de chave fraco (Polônia) e outros 3 times fracos num mesmo grupo. O grupo H vai ser daqueles imprevisíveis, pelo menos. Ninguém sabe quem vai classificar, devido ao nível técnico dos times. Se a Polônia tem Lewandowski, um dos melhores centroavantes do mundo, a Colômbia tem James Rodriguez, seu companheiro de Bayern de Munique, autor do gol mais bonito da Copa de 2014. Senegal e Japão podem até tentar assustar, mas devem ficar para trás. No mais, esse grupo não faria nenhuma falta à Copa. Vai servir apenas para completar o álbum de figurinhas.

Que venha a Copa. Que venha o Hexa. Que venham ótimos jogos no melhor evento esportivo do planeta.

twitter: @tedsimoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<