Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Futebol Brasileiro / Vitória respira; Bahia se complica

Vitória respira; Bahia se complica

Faltando 12 rodadas para o fim do Brasileirão, nenhuma novidade com os clubes Baianos: ambos seguem lutando para se manter na elite do futebol Brasileiro. Um mix de falta de planejamento, decisões erradas, péssimo futebol e muita incompetência das duas diretorias.

O Vitória ao menos mostra sinais de reabilitação. Desde a chegada de Mancini, o time parece ter se encontrado. Vem apresentando um bom futebol, derrubando inclusive o último invicto do campeonato. Se fora de casa o time vai destruindo seus oponentes, o problema é justamente quando joga em seus domínios. A última vez que venceu no Barradão foi no longíquo 2 de agosto, quando derrotou a Ponte Preta. De lá para cá, vexames contra concorrentes diretos: perdeu do Avaí e do São Paulo e empatou com o Fluminense. A situação só não é pior porque venceu os 5 confrontos fora de casa. Triunfos “improváveis” contra Corinthians, Flamengo e Botafogo, além de bater o Coritiba e Atlético MG, times que estão ali disputando o descenso.

O que incomoda é justamente o aproveitamento contra os concorrentes diretos. Dos 30 pontos disputados contra os 7 últimos colocados, o Leão ganhou 17 pontos. No Barradão, a marca ainda é pior: dos 15 pontos, ganhou apenas 4. E o próximo jogo é contra o Sport, em seus domínios. Hora de espantar a má fase. Vencer é mais que fundamental.

Nada é por acaso. A chegada de Mancini corrigiu um péssimo erro de planejamento do clube, nas invenções com Petkovic e Alexandre Gallo. Mesmo que tenha seus defeitos, Mancini é um treinador de verdade, rodado e testado em muitos clubes. Consegue corrigir defeitos defensivos e montar times que sabem jogar em suas limitações. Como bem diz o ditado, consegue tirar leite de pedra. Pegou um elenco arrasado, sem qualquer confiança e já coloca o time numa improvável 11ª colocação. Faltando 12 jogos, teoricamente faltariam 14 pontos para se livrar do fantasma do rebaixamento, não fosse a loucura pelo descenso que o campeonato reservou. É bem provável que o corte esse ano seja maior. Alguns especialistas já falam em 47 pontos para se garantir na próxima série A. Portanto, seriam 15 pontos. 5 Vitórias.

O Leão joga em casa contra o Sport, Atlético PR, Atlético GO, Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo. É obrigação vencer seus concorrentes diretos, Sport e Atlético GO. Um Cruzeiro já sem interesse no Brasileiro e um Atlético PR derrapando também. Só aí, seriam 12 pontos. Fora de casa, o rubro-negro pega Santos, Bahia, Vasco, Grêmio, Chape e Ponte. Tirando o clássico que sempre é imprevisível e os duros jogos contra Santos e Grêmio que lutam para encostar no Corinthians, dá para sonhar com 3 triunfos contra Vasco, Chape e Ponte. E como o Vitória vem jogando muito bem fora de casa, dá para dizer que a situação do clube, que parecia irreversível, ficou bem tranquila. Mais uma vez, graças a um treinador de verdade.

Já o Bahia resolveu imitar seu maior rival. Após a saída de Guto Ferreira para o Inter e a péssima escolha de Jorginho, o clube resolveu inventar Preto Casagrande como treinador. Talvez a pior decisão tomada por Marcelo Sant’ana desde que assumiu o tricolor. Preto não tem qualquer condição de treinar um time de futebol nesse momento. Suas decisões são péssimas. Se com Jorginho o Bahia já tinha perdido todos os avanços de Gordiola, com Preto o time conseguiu piorar ainda mais. Não há convicção em nada: esquema tático, escolhas duvidosas por alguns jogadores (Vinicius é a principal, sem sombra de dúvidas), além do péssimo ambiente no elenco. Régis continua sendo muito mal aproveitado.

Pelo twitter, noticiei que Cristovão Borges teria ido ao Fazendão ontem. Fontes internas confirmaram que o desempregado treinador esteve por lá e muitos disseram que o negócio estava fechado. O clube negou veementemente a notícia, mas declarou que ainda não se decidiu sobre a permanência de Preto Casagrande no cargo. Para piorar, há um outro boato rolando que o clube estuda a contratação de um profissional para “supervisionar” Preto. Um novo Petkovic, a essa altura? Seria amadorismo demais. Parece que não aprendeu com a crise do vizinho.

O Bahia precisa de um treinador, com urgência. As escolhas de Preto são terríveis. No último jogo ele errou feio ao tirar Mendonza de campo. O limitado Colombiano vinha causando preocupações ao sistema defensivo do Coxa. O gol saiu exatos 6 minutos depois da substituição.

Falando em Colombiano, quando a direção tricolor vai se pronunciar sobre Armero? O midiático jogador segue no departamento médico ou estão poupando sua clara deficiência técnica? O Bahia hoje parece refém do grupo de jogadores, preocupados apenas com o bem estar deles. Falta atitude do departamento de futebol.

Bem ou mal, ainda há uma luz no fim do túnel para o tricolor. Ocupando a 13ª posição, o time precisa de 16 pontos dos 36 que disputará. São 6 jogos em casa: Corinthians, Vitória, Ponte Preta, Atlético MG, Santos e Chapecoense. Obrigação vencer seus rivais diretos, Ponte, Galo e Chape. Em clássico não tem obrigação, mas é fundamental. Arrancar pontos de Corinthians (em má fase) e Santos também fariam diferença. Ou seja, o Bahia precisa fazer pelo menos 10 pontos em casa. Fora de casa é que a coisa complica: Palmeiras, Flamengo, Fluminense, Avaí, Sport e São Paulo. 4 concorrentes diretos, principalmente Flu, Avaí e Sport. O último jogo contra o São Paulo pode ser bom caso o tricolor Paulista já esteja livre do fantasma do rebaixamento.

O retrospecto com os concorrentes diretos é assombroso. Apenas 14 pontos em 27 disputados. Dentro de casa, 9 pontos em 18. Num campeonato desses, perder pontos em casa para esses times pode ser fatal. Num breve exercício de imaginação, se o Bahia tivesse vencido Sport e Avaí em seus domínios, estaria hoje na 8ª posição, 7 pontos à frente do Z4. Ajudaria muito entrar em campo sem essa pressão desnecessária que o próprio clube criou.

Não é tão fácil quanto parece, mas também não é uma situação de outro mundo. Mas a direção tricolor precisa entender que é necessário contratar um técnico de verdade, coisa que Preto Casagrande não é. Pode ser no futuro, sem sombra de dúvidas. Ele pode estudar, se preparar e até mesmo o clube pode prepará-lo para isso. Mas esse não é o momento. Eu até não acredito que Cristovão seja o cara certo para isso, mas com certeza ele é muito melhor que o atual treinador tricolor. Hora da direção tricolor agir. Ou pagar para ver.

twitter: @tedsimoes

Em tempo: o Blog comemorou um aninho semana passada. Muito obrigado à todos que acompanham!

6 thoughts on “Vitória respira; Bahia se complica”
  1. eduardo alves amorim 3 de outubro de 2017 on 13:06 Responder

    Análise corretíssima essa a respeito de BA VI. Parabéns Tedão. Tô de olho heim…abração.

  2. Adauto Silva 3 de outubro de 2017 on 13:53 Responder

    Concordo plenamente com esta análise para ambos os times. O Bahia dormiu com relação a Jorginho e cometeu um desastre ao deixar o time com os jogadores na escolha de Preto. Eu olho o time do Bahia pelo rendimento esportivo de Tiago em campo. De líder e atleta pleno em campo na era Gordiola, a desatento e demonstrando cansaço com o time em campo.
    Definitivamente, o Bahia não consegue, não sabe sair da defesa para o ataque sem que o defensor rife a bola. Quando algum jogador tenta driblar, Jean sofre as consequências dos erros frequentes.

  3. José Maria Wanderley 3 de outubro de 2017 on 14:00 Responder

    0 VITORIA respira, porque os Conselheiros previram que o Presidente eleito era FRACO, levaria o clube a Série B.

    O BAHIA complica, porque além de ter um Presidente, Fraco, Amador, e Omisso, está se lixando se a Série é A, B, C, ou D. Mantém um técnico sem preparo, e tem apoio de uma Torcida que nada representa .

  4. José Maria Wanderley 3 de outubro de 2017 on 14:01 Responder

    0 VITORIA respira, porque os Conselheiros previram que o Presidente eleito era FRACO, levaria o clube a Série B.

    O BAHIA complica, porque além de ter um Presidente, Fraco, Amador, e Omisso, está se lixando se a Série é A, B, C, ou D.

  5. Adauto Silva 3 de outubro de 2017 on 14:03 Responder

    Eu penso que em relação ao novo treinador o Bahia dormiu de novo ao não ter contratado Mancini quando este saiu da Chape. Ainda resta no mercado Fernando Diniz que é experiente e tem um bom padrão de jogo, acredito, para o Bahia. Se considerar que Jorginho tentou dar posse de bola e preto também ao Bahia e fracassaram, acho que Fernando Diniz, se é este o caminho, é o melhor treinador nesta opção.

  6. Aremildo de São Pedro 3 de outubro de 2017 on 14:53 Responder

    O futebol que o Bahia pratica o levará a Segundona. É incrível que o Bahia, depois de cair para a Segundona se identificou tanto, que não é mais time de Primeira. É uma enganação total. A Diretoria do Bahia ainda não entendeu que o Clube é grande e tem uma grande torcida é uma das mais apaixonadas e vibrantes do Brasil. É humilhação atrás da outra. Qualquer adversário chega na Fonte Nova e goleia. Fora da Fonte Nova é a pior vergonha. Joga com as calças na mão com medo de perder. O objetivo é não perder; se ganhar é consequência. Time covarde, medíocre. Aliás Bahia e Vitória são a imagem de um futebol ridículo praticado no Estado. É literalmente um futebol doméstico. Se ambos disputassem o Campeonato Paulista, Série A2 jamais seriam campeões. Os times baianos que participam das Séries C e D só dão vexames. Infelizmente, termino este breve comentário sem nenhuma esperança de melhoras à nível nacional do futebol baiano. Torcedores do BA x VI se contentam em zoar uns aos outros e é o que resta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<