Bem vindo ao

Blog do Ted

Home / Futebol Baiano / Gordiola não merece seu apelido. Hernane salva o péssimo futebol do Bahia com um gol salvador no fim do jogo. Dessa vez, foi por pouco…

Gordiola não merece seu apelido. Hernane salva o péssimo futebol do Bahia com um gol salvador no fim do jogo. Dessa vez, foi por pouco…

Foto: http://www.esporteclubebahia.com.br

Foto: http://www.esporteclubebahia.com.br

Não pude acompanhar o jogo do Bahia ao vivo, nessa terça. Um compromisso me deixou acompanhando o jogo pelo Twitter e por um aplicativo em tempo real. Coloquei o jogo pra gravar e o assisti assim que cheguei em casa. Odeio assistir jogos em que já sei o resultado. Perde a emoção, o fator mais apaixonante desse esporte. E o ponto principal do importante triunfo do Bahia nessa terça foi justamente a emoção. Do jeito que o torcedor do Bahia diz que adora, mas que se pudesse, evitava ao máximo.

A Arena Itaipava estava linda. Lembrou até um pouco a antiga Fonte Nova. O torcedor do Bahia deu seu espetáculo habitual. O time estava no G4 e pegava o lanterna da competição. Estava desenhado até pro mais pessimista tricolor: era dia de goleada, de show, da afirmação da hashtag que o marketing tricolor usou durante toda a campanha. O #JuntosVoltaremos estava na sua noite dos sonhos. Todo cenário de filme com final feliz.

Mas o Bahia (e seu torcedor) valorizam demais a emoção exagerada. Talvez os românticos lembrem de Raudinei e Charles como momentos que precisam ser repetidos a cada década na história tricolor. Aquela coisa do “com o Bahia, é sofrimento até o final”. Um mantra. Nesta noite de terça, mais uma vez a história da “estrela tricolor brilhou” se repetiu em frente ao Dique do Tororó.

Guto Ferreira chegou ao Bahia com a promessa de que no fim do ano, o torcedor do Bahia estaria comemorando o acesso à primeira divisão. Além disso, chegou com a grife de belo futebol, de treinador moderno. Acabou apelidado de “Gordiola”, uma versão tupiniquim (e mais cheinha) de Pep Guardiola. Em seu aniversário, os jogadores o homenagearam cantando seu apelido em coro, em vídeo divulgado pelo clube.

Depois do péssimo jogo em Goiânia, esperávamos um Bahia melhor. Que propusesse o jogo, trocasse passes e criasse um pouco mais. Mas com dois minutos vimos um resumo do que seria o jogo: Eduardo cruzou uma bola perfeita na cabeça de Victor Rangel, que sozinho, conseguiu perder. O roteiro continuou durante todo o primeiro tempo. Tirando um chute de longe de Juninho e uma bola que sobrou pra Victor Rangel no último lance, todos os lances de perigo do Bahia foram em bolas aéreas. O Bahia teve doze escanteios a seu favor só na primeira etapa. Um time sem imaginação pra trabalhar a bola e envolver a defesa adversária.

No segundo tempo, a tática bumba meu boi continuou sendo a única arma tricolor. Hernane perdeu um gol inacreditável no cruzamento de Edgar Junio, repetindo o primeiro lance do jogo. Misael também fez boa jogada pela esquerda, mas o cruzamento não deu em nada. E o Bahia seguia sem imaginação, contando apenas com o chuveirinho. Dessa vez, não tinha Régis no banco pra tentar dar uma qualidade maior ao time, como foi no jogo contra o Ceará. A torcida impaciente, começava a vaiar o time.

Eis que aos 46 do segundo tempo, o Bahia finalmente tentou uma jogada pelo miolo da zaga. Em lance iniciado no meio do campo, bola lançada pro zagueiro Tiago, que já tinha virado centroavante. Com um belo toque de calcanhar, achou Hernane sozinho em frente da área. Com uma frieza que quase matou o torcedor do coração, o brocador deu uma cavadinha em frente ao goleiro, marcando um golaço. A Arena Itaipava viveu pela primeira vez o que a antiga Fonte Nova viu por diversas vezes: o Bahia se salvando no fim.

O gol de Hernane foi importantíssimo, sabemos disso. Mas ele acaba escondendo um ponto que não pode ser jogado por debaixo do tapete: o Bahia vem jogando muito mal. Na verdade, foram raros os momentos nessa série B que o Bahia apresentou um bom futebol. Quando isso aconteceu, quase sempre teve em Régis o seu principal responsável. E sempre quando ele entrava no decorrer do jogo. Quando foi titular, não teve a mesma regularidade.

Gordiola tem contrato até o final do ano que vem. Com o acesso, é impossível que seja demitido. Vai ser tratado como herói pela torcida tricolor, é óbvio. Nessas horas, a discussão “Resultado x Desempenho” dá lugar à paixão do torcedor. Aquele que vem sofrendo com o time na série B há duas temporadas, que perdeu o título Baiano pro rival e fracassou na copa do Brasil e copa do Nordeste. É mais que normal.

Se for pra subir de qualquer jeito, tá valendo. Gordiola pode se segurar aos resultados pra dizer que veio com um objetivo no meio da temporada, que não participou da montagem da equipe. Mas depois de 5 meses no comando, o Bahia deveria estar mostrando um desempenho melhor. Bom futebol, evolução jogo a jogo. Não deveria passar aperto pra vencer o lanterna do campeonato, que caiu pra terceira divisão com o resultado, dentro de casa. Com apoio total do seu torcedor.

O gol salvador de Hernane, com carga dramática e história de filme com final feliz acabou disfarçando a péssima apresentação do tricolor. Ou as péssimas apresentações, se lembrarmos de todo o campeonato. Mas é bom que Guto Ferreira justifique seu apelido. Não precisa transformar o Bahia no novo Barcelona, Bayern ou Manchester City. Não adianta ter maior posse de bola se não se faz bom uso dela, vivendo de cruzamento na área. Nenhum time consegue se manter tendo um repertório tão limitado.

Guto precisa buscar soluções pro time. Dar um padrão de jogo, ter variações táticas pra adversários diferentes. Coisa que seu antecessor não conseguiu. Mesmo mantendo o Bahia próximo ao G4, foi demitido por não mostrar um bom desempenho. Senão, é melhor que o presidente do Bahia já comece a buscar um novo nome no mercado. Porque na série A, não dá pra viver de sorte. O buraco é mais embaixo e o torcedor sabe disso.

Twitter: @tedsimoes

5 thoughts on “Gordiola não merece seu apelido. Hernane salva o péssimo futebol do Bahia com um gol salvador no fim do jogo. Dessa vez, foi por pouco…”
  1. Mário Preto 10 de novembro de 2016 on 10:08 Responder

    É justamente o q eu penso! Excelente leitura da série B do Bahia em 2016. E digo mais, subir para a 1ª divisão do Brasileiro jogando desse jeito, passando sufoco contra o lanterna, vai ser mais uma luta para não cair. Infelizmente é a realidade!
    Além disso, precisamos de peças de reposição para as duas laterais – o eterno “câncer” do Bahia -, + 1 meio-campista de qualidade e 2 volantes. Também é necessário esquemas táticos variados e um belo esporro nos jogadores para parar de dar ‘chutão’ na bola rumo ao nada.
    Com tudo isso, podemos fazer uma campanha p ficar entre os 10. Afinal, sorte não será o forte em 2017, tem q ter qualidade!

    • Aremildo de São Pedro 10 de novembro de 2016 on 20:41 Responder

      Concordo inteiramente com o Mário! O Bahia está num sobe e desce danado. Só participa do Brasileirão Série A para não cair e na Série B é um sofrimento para subir. Se um time com a maior folha da Série B não consegue ganhar de um time rebaixado, com certeza, se subir, vai ser humilhação geral. A sorte só prevalece para quem tem qualidade.

  2. ROBERTO 10 de novembro de 2016 on 11:50 Responder

    CONCORDO EM PARTE CO SEU COMENTÁRIO,REALMENTE O BAHIA VEM JOGANDO PESSIMAMENTE, FORA DE CASA, E O CULPADO É O ESQUEMA TÁTICO COVARDE DO SEU REINADOR,PORÉM NA FONTE NOVA TEM DEIXADO SUA TORCIDA MUITO SATISFEITA ,VEZ QUE SE IMPôE TOTALMENTE A SEUS ADVERSÁRIOS,AGORA, ENTENDENDO O MOTIVO DAS SUAS CRITICAS ÁCIDAS A RESPEITO DO TIME ,COMO DISSESTE, NÃO ASSISTISSE O JOGO!

  3. Laercio jose Sousa Freaza 10 de novembro de 2016 on 14:15 Responder

    Excelente o comentario de Ted Simoes onde concordo com toda a leitura feita por ele sobre como o Bahia tem jogado. Nos torcedores nao podemos nos iludir com resultados, haja visto a pobreza de futebol apresentado pricipalmente contra Crb e Vila Nova, onde com um jogador a mais em campo, fomos encurralados, sufocados e por milagre de Deus nao tivemos pior sorte. O time nao consegue trocar tres passes certos, nao tem jogadas ensaiadas, triangulacoes e observe as cobrancas de lateral. Todas beneficiam apenas os adversarios, pasmem. O treinador e muito fraco, ja demonstrou isso claramente e o Presidente do clube contratou muito mal trazendo jogadores que nao sabem nada de futebol e sem recurso nenhum. Parabens pelo comentario.

  4. Editor 10 de novembro de 2016 on 22:30 Responder

    “Salva com um gol salvador”?
    Um dicionário de sinônimos ia bem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

>> <<